26 de out. de 2019

Eu li! - O Inverno Vermelho - Resenha

 Eu li! - O Inverno Vermelho - Resenha
 Eu tive o prazer e a incrível conhecidencia de iniciar a leitura na data do meu aniversário, o que foi extremamente gratificamente, já que a considero uma leitura bastante proveitosa e encantadora.



No início da leitura havia ficado meio confusa pela grande quantidade de personagens, nomes e pela complexidade apresentada pela obra, mas conforme foram passaram-se as páginas, me situei melhor, e mergulhei em um  universo completamente novo.
 No meio de um animado festival (nomeado Estroba), uma flecha propondo Lagracia para uma guerra surgiu, então, esse foi considerado o início do fim aos Telmeder. 
 Ataques começaram a interromper todas as direções com lembranças de uma tal Amazona Dourada. É aí que o gazado começa a cair violentamente e o líderes são feridos e mortos.  Então, Fisor, Flagui, Irion e Jeon decidem partir em uma viagem em busca de solução, o que ocasiona em lutas, lugares fabulosos e vista de seres encantadores.
Confesso que a capa me chamou bastante atenção, junto ao contraste de tons escuros e uma fonte muito bonita (infelizmente a minha veio um pouco desbotada, mas foi devido a impressão da edição). Foi a primeira vez que tive a oportunidade de ler algo da Editora Selo. Conforme passava as páginas, me deparei  com lindas ilustrações (muito mesmo! Inclusive, se houvessem pôsteres eu com certeza compraria), que incluíam o mapa do Sul da Regiônica entre as primeiras páginas antes do prólogo e uma do Norte após o epílogo.
 Os personagens principais são encantadores e o bom humor presente em pequenos detalhes é algo que chama a atenção. Os nomes são de fato bem pensados: Irion Corel, Fisor, Gorer, Gária...  Ah, não podia esquecer de Súria, uma personagem em que minhas expectativas foram da água para o vinho, sem muitos detalhes. 
 Inclusive,  a falta de uma maior quantidade de personagens femininos como coadjuvantes bateu em alguns momentos, mas é compreensível pela "vibe" da história, além de que isso não interferiu em nada, já que a forma que a construção foi realizada os deixaram muito interessantes e deu a capacidade de criar mentalmente a personalidade de cada um.
  O Inverno Vermelho é uma obra recheada de reviravoltas e momentos inesperados, junto a uma enorme quantidade de detalhes. É com certeza riquíssima e surpreendente, perfeita aos amantes de livros de fantasia. 

 💖💖💖💖💕 (4.5/5)

Eu não sei se poderia deixar isso aqui ou se é considerado spoiler, mas o final é revigorante. Muito, muito inesperado. E um epílogo que acaba com as pontas soltas e deixa claro um laço muito bonito entre os personagens. 

16 de out. de 2019

Recebidos Gorila Clube - Outubro/2019

Recebidos Gorila Clube - Outubro/2019
  Oii, gente! Nesse post eu gostaria de mostrar pra vocês alguns itens que chegaram pra mim da loja Gorila Clube. Espero que gostem! A loja foi muito incrível e tudo veio muito bem embalado, cheio de plástico bolha. As coisas levaram em torno de duas semanas para chegar. O que veio:


 Essa fominha de gelo de patinho que é puro amor:


  Essas almofadas muito fofas que combinam entre si:



 A caneca Meow da Uatt?:


 Esses guardanapos da mulher maravilha:


 Um cabideiro maravilhoso:


 Esse aviso de porta muito lindinho, que, sinceramente vai me ajudar muito hahah!




Eu amei tudo e gostaria de agradecer a loja por ser tão atenciosa.
 Beijão:)





23 de set. de 2019

Aprender Inglês Usando Séries de TV

Aprender Inglês Usando Séries de TV

  Mexendo e desempacotando coisas da mudança vi um dos meus livros de quando frequentava as aulas na escola de inglês (durante 4 longos anos)! E eu formei? Não. Eu acho que é bastante tempo para se estudar e não dar em nada, deprimente. 
  Eu tinha tomado a ideia de estudar sozinha, e de fato funcionou, então decidi fazer um post falando sobre isso e como é meu aprendizado.

 Séries.
 É irônico o fato de o mundo achar que aprender inglês está completamente atrelado a coisas chatas e estudos forçados, então quando falo que meu treino é por séries as pessoas ficam "?". E deixe eu te afirmar uma coisa: se tentar um estudo forçado, você não vai aprender. Simplesmente pelo fato de que você não vai querer se dedicar, e sem dedicação = sem progresso. Simples.
   
 Netflix e Youtube: seus maiores aliados
 Se você tem Netflix com certeza está um degrau mais acima quanto a facilidade e se não tem, o youtube ta aí lotado para você.




 O que você gosta?
 O post é sobre séries, mas tudo é válido. Eu por exemplo sou fascinada por Masterchef e assisti longas temporadas estrangeiras sem ser da minha língua nativa simplesmente pelo fato de ficar tão distraída em meio a tretas e potes de açúcar caindo que o tempo nem passava. Então descubra sua praia: Youtubers estrangeiros, séries de fato, reality shows, Discovery Channel ou curta metragens. Ou todos eles, já que, quanto mais convívio com a língua nativa melhor. 

Ah, d eixe tudo a seu alcance e que torne assistir coisas em outras línguas seja algo natural.

 Tá, mas e na prática?
 Primeiro, se preferir, veja o episódio na sua língua nativa.
 Veja ele em inglês com legenda em inglês na segunda vez e sem legenda na terceira.

 Lógico, depende do seu nível, talvez possa vez uma vez no com legenda em inglês mesmo. De qualquer forma no ínicio vai ser meio estranho mesmo e isso é normal, com o tempo vai parar de ver diferença.

 Indicações: (algumas que tô vendo ihi)
* Mundo Sombrio de Sabrina
* Friends
* Gilmore Girls
* Tem muuuito original da Netflix incríveis.
* Se gosta de animação, procure as da Disney: gosto muito de Gravity Falls, filmes de princesa e coisas assim.
* Desencantados
(...)

 Já tentaram? Vão tentar? Se sim, me conte um pouco sobre sua experiencia! Beijão!

16 de set. de 2019

Dilemas Sobre Morar Sozinha #1 - Barulhos e Obrigações

Dilemas Sobre Morar Sozinha #1 - Barulhos e Obrigações
  
ok-illustrates
  
   Me lembro exatamente de como era minha visão de morar sozinha no auge dos meus 6 anos de idade: um apartamento de superstar, tudo ficava magicamente limpo o tempo todo e era uma empreendedora (na minha cabeça não tinha uma visão bem clara exatamente, mas só sabia que era).
  Os anos se passaram e passei a duvidar se queria mesmo isso tão cedo e como seria difícil não ter meus pais para me ouvir gritar quando um copo de vidro quebrasse ou para ouvirem os ruídos da Netflix em plenas 15 horas da tarde (o que gerava reclamações, devido meus programas serem geralmente em áudio original para treinar idiomas aleatórios).
  Com os anos, me desapeguei dessa ideia, porque bem lá no fundo, eu sabia que teria que acontecer de todo jeito quando fosse pra faculdade (sempre deixei claro que queria fazer longe da minha cidade natal), mas no fim, tudo se encaminhou e só segui a onda. Eu não tô na faculdade (AINda), mas já passo por dilemas diários, e com isso tive a brilhante ideia de trazer um pouco da minha experiencia para esse cantinho perdido da internet. Nesse post vou contar um pouco sobre meus primeiros "baques".




  Falta de quem conversar: eu não ter ninguém para gritar comigo enquanto ouvia meus podcasts, músicas ou clipes da Disney foi algo me fez falta. Com o tempo se torna tão natural que não ter conversas pela casa é estranho e de fato me deixou perdida em alguns momentos. O costume fez com que coisas que eu jamais fosse reparar, me fizessem falta, o que é bizarro.

  Estranhar lugares barulhentos: a consequência de não ter com  quem conversar te deixa com um efeito meio ranzinza sem perceber, ou o inverso, se apaixonar por barulho. Parece que você passa tanto tempo fazendo as coisas do seu jeito que em ambientes cheios tudo fica extremamente fora da zona de conforto.

 Chaves e mais chaves: parece que a quantidade de chaves nunca terminam, principalmente quando se mora em apartamento. E até pegar o hábito e não esquecer nada aberto é algo que demora muito: "filha, lembra de fechar as cortinas, tranca a porta, lembra de colocar os tapetes para lavar..." parece que é informação demais!

 Louça e mais louça: a partir de que todas se tornem sua obrigação, tudo parece pior, porque aquela vozinha de "você sujou, é sua obrigação" da conciencia na cabeça não para de encher o saco, e de fato talvez seja verdade (pode ser que seja tudo falta dos pais hahah).

  Ouvir música nunca foi tão bom: apesar da falta de barulhos, é maravilhoso poder ligar a playlist sem depender de fone. Parece que se torna automático: você passa a depender do Spotify literalmente para tudo - louça com música, varrer o chão, tomar banho... 

  Foram esses alguns fatos sobre morar sozinha que eu notei! Como vou transformar em um quadro, futuramente tem mais viu hahah!
 Beijão!

Escrevi ouvindo: Green - Cavetown



9 de set. de 2019

Minhas 5 Palestras Favoritas em Português do TED TALKS

Minhas 5 Palestras Favoritas em Português do TED TALKS
 Oii, gente! No mês de juho criei várias metas: me dedicar mais, ter séries atualizadas, postar mais, blá blá blá, o problema é que conheci uma coisa que acabou com todas as ideias que eu tinha e ao mesmo tempo me tranformou em uma versão completamente inovadora e com ideias geniais: TED Talks. 
 Cheguei a conclusão que quero mudar o mundo. O mais louco de tudo é que foram 2 meses  desde então maratonando as palestras mais legais do universo e não tenho ideia de como escrever esse post.


 O que é?
 TED é uma organização sem fins lucrativos dedicada ao lema “ideias que merecem ser compartilhadas”. Começou há 26 anos como uma conferência na Califórnia, e, desde então, o TED tem crescido para apoiar ideias que mudam o mundo através de múltiplas iniciativas.
 TEDx é um evento "TED" organizado de forma idependente.

 ----
  Em resumo são diversas palestras maravilhosas com ideias inovadoras realizadas ao redor do mundo todo: e o melhor, são disponibilizadas de graça no youtube.

 Tem em inglês, espanhol, françês ou no idioma que você quiser, mas hoje vou listar as minhas favoritas realizadas por brasileiros. Pena que ainda não vi todas, mas um dia irei (espero).

1. A Forma que você encara o momento pode mudar tudo: essa palestra, além de fofíssima, é uma grande lição de vida em todos os aspectos. Simplesmente não é o fim do mundo, e ei, tudo vai ficar bem. Eu meio que percebi o quanto tratamos a vida como algo fútil, tudo é bem mais do que imagina.





2. Como conhecer pessoas interessantes: depois de ver esse vídeo (ri muuito) decidi que estava presa na minha área de conforto e que ás vezes, é muito bom poder mudar isso.




3. O que é amor?: as vezes, a visão de amar que temos é muito limitada, e no fim, tudo não se passa de uma grande montanha russa constante.




4. O poder do não e o dinheiro: Nath ensinando a polpar! Eu amei de um tanto as dicas e a forma que transformou a vida dela com o controle financeiro.




5. Empreendedorismo e o preço de um sonho: esse TED trouxe uma grande reflexão sobre o mundo empresárial e da persistência. (a Tag - experiências literárias, conhecem né?)




 O que vocês acharam? Espero que tenham mudado a vida de vocês assim como trouxeram uma grande perspectiva e um novo modo de vista da sociedade para mim.

  Ahhh, quer ver mais palestras? Clique aqui e veja uma playlist no youtube super bacana.
 Beijão!
Copyright © 2016 Simplesmente Criativa , Blogger