16 de set de 2019

Dilemas Sobre Morar Sozinha #1 - Barulhos e Obrigações

Dilemas Sobre Morar Sozinha #1 - Barulhos e Obrigações
  
ok-illustrates
  
   Me lembro exatamente de como era minha visão de morar sozinha no auge dos meus 6 anos de idade: um apartamento de superstar, tudo ficava magicamente limpo o tempo todo e era uma empreendedora (na minha cabeça não tinha uma visão bem clara exatamente, mas só sabia que era).
  Os anos se passaram e passei a duvidar se queria mesmo isso tão cedo e como seria difícil não ter meus pais para me ouvir gritar quando um copo de vidro quebrasse ou para ouvirem os ruídos da Netflix em plenas 15 horas da tarde (o que gerava reclamações, devido meus programas serem geralmente em áudio original para treinar idiomas aleatórios).
  Com os anos, me desapeguei dessa ideia, porque bem lá no fundo, eu sabia que teria que acontecer de todo jeito quando fosse pra faculdade (sempre deixei claro que queria fazer longe da minha cidade natal), mas no fim, tudo se encaminhou e só segui a onda. Eu não tô na faculdade (AINda), mas já passo por dilemas diários, e com isso tive a brilhante ideia de trazer um pouco da minha experiencia para esse cantinho perdido da internet. Nesse post vou contar um pouco sobre meus primeiros "baques".




  Falta de quem conversar: eu não ter ninguém para gritar comigo enquanto ouvia meus podcasts, músicas ou clipes da Disney foi algo me fez falta. Com o tempo se torna tão natural que não ter conversas pela casa é estranho e de fato me deixou perdida em alguns momentos. O costume fez com que coisas que eu jamais fosse reparar, me fizessem falta, o que é bizarro.

  Estranhar lugares barulhentos: a consequência de não ter com  quem conversar te deixa com um efeito meio ranzinza sem perceber, ou o inverso, se apaixonar por barulho. Parece que você passa tanto tempo fazendo as coisas do seu jeito que em ambientes cheios tudo fica extremamente fora da zona de conforto.

 Chaves e mais chaves: parece que a quantidade de chaves nunca terminam, principalmente quando se mora em apartamento. E até pegar o hábito e não esquecer nada aberto é algo que demora muito: "filha, lembra de fechar as cortinas, tranca a porta, lembra de colocar os tapetes para lavar..." parece que é informação demais!

 Louça e mais louça: a partir de que todas se tornem sua obrigação, tudo parece pior, porque aquela vozinha de "você sujou, é sua obrigação" da conciencia na cabeça não para de encher o saco, e de fato talvez seja verdade (pode ser que seja tudo falta dos pais hahah).

  Ouvir música nunca foi tão bom: apesar da falta de barulhos, é maravilhoso poder ligar a playlist sem depender de fone. Parece que se torna automático: você passa a depender do Spotify literalmente para tudo - louça com música, varrer o chão, tomar banho... 

  Foram esses alguns fatos sobre morar sozinha que eu notei! Como vou transformar em um quadro, futuramente tem mais viu hahah!
 Beijão!

Escrevi ouvindo: Green - Cavetown



9 de set de 2019

Minhas 5 Palestras Favoritas em Português do TED TALKS

Minhas 5 Palestras Favoritas em Português do TED TALKS
 Oii, gente! No mês de juho criei várias metas: me dedicar mais, ter séries atualizadas, postar mais, blá blá blá, o problema é que conheci uma coisa que acabou com todas as ideias que eu tinha e ao mesmo tempo me tranformou em uma versão completamente inovadora e com ideias geniais: TED Talks. 
 Cheguei a conclusão que quero mudar o mundo. O mais louco de tudo é que foram 2 meses  desde então maratonando as palestras mais legais do universo e não tenho ideia de como escrever esse post.


 O que é?
 TED é uma organização sem fins lucrativos dedicada ao lema “ideias que merecem ser compartilhadas”. Começou há 26 anos como uma conferência na Califórnia, e, desde então, o TED tem crescido para apoiar ideias que mudam o mundo através de múltiplas iniciativas.
 TEDx é um evento "TED" organizado de forma idependente.

 ----
  Em resumo são diversas palestras maravilhosas com ideias inovadoras realizadas ao redor do mundo todo: e o melhor, são disponibilizadas de graça no youtube.

 Tem em inglês, espanhol, françês ou no idioma que você quiser, mas hoje vou listar as minhas favoritas realizadas por brasileiros. Pena que ainda não vi todas, mas um dia irei (espero).

1. A Forma que você encara o momento pode mudar tudo: essa palestra, além de fofíssima, é uma grande lição de vida em todos os aspectos. Simplesmente não é o fim do mundo, e ei, tudo vai ficar bem. Eu meio que percebi o quanto tratamos a vida como algo fútil, tudo é bem mais do que imagina.





2. Como conhecer pessoas interessantes: depois de ver esse vídeo (ri muuito) decidi que estava presa na minha área de conforto e que ás vezes, é muito bom poder mudar isso.




3. O que é amor?: as vezes, a visão de amar que temos é muito limitada, e no fim, tudo não se passa de uma grande montanha russa constante.




4. O poder do não e o dinheiro: Nath ensinando a polpar! Eu amei de um tanto as dicas e a forma que transformou a vida dela com o controle financeiro.




5. Empreendedorismo e o preço de um sonho: esse TED trouxe uma grande reflexão sobre o mundo empresárial e da persistência. (a Tag - experiências literárias, conhecem né?)




 O que vocês acharam? Espero que tenham mudado a vida de vocês assim como trouxeram uma grande perspectiva e um novo modo de vista da sociedade para mim.

  Ahhh, quer ver mais palestras? Clique aqui e veja uma playlist no youtube super bacana.
 Beijão!

4 de set de 2019

Como Escolher Nome Para Instagram/Blog Literário - Dicas :)

Como Escolher Nome Para Instagram/Blog Literário - Dicas :)
  Oii, gente! Demorei um pouco, mas cá estou para continuar a saga de criação de instagram literário (infelizmente estou usando apenas o instagram do blog atualmente, mas qualquer coisa só me mandar direct - @thayline.jpg).

Alguns posts que também podem ajudar:



 * Quando a palavra "livros" vem a sua cabeça, o que mais vem junto? Vale tudo, pense na sua música favorita, filme, livro, qualquer coisa dentro desse mundo pode ser uma inspiração, agora faça uma lista com essas palavras.
 Ex: Stranger Books, leiturando, lendo em Nárnia... (ideias que brotaram agora na minha cabeça hihi)

 * Quer o nome em inglês, português ou outro idioma? Isso vai facilitar bastante na hora de excluir opções.

 * Um nome fácil de memorizar e sem muitas letras repetidas. Principalmente se for instagram: hífens, x, y, muitos pontos... (Ex: abelhaamarga) 
 São coisas que além de poluir visualmente, pode não chamar a atenção de leitores exatamente pela dificuldade de lembrar. Se possível evite, lógico que existem exceções.

 * Nesse auge dá a impressão de que todos os nomes já existem, mas não, o seu está por ai esperando por você. Não desiste não hahah! 
Posts com inspirações de nomes: +200 nomes para seu blog (de cara com a Juh).

* Opte pelos nomes chave: cantinho da (do) "seu nome aqui", "seu nome"+ zando, "seu nome'+lendo, "seu nome"+ zando...

* Bora sortear? Coloque o nome de tuudo que você gosta dentro de um pote. Ex: chuva, café, milkshake, cinema. Verbos com que se identifique (lendo, relendo, ditando, escrito) e faça um sorteio com 2 palavras. Vá tirando até sair algo legal daí!

* Letra de música: procure um verso na sua música favorita, pronto. Esse é certeiro.


 Para Finalizar:

 - Se pensa em criar um site futuramente, confirme que NÃO existe ninguém que chama assim, se não trará problemas depois.
 - Tenha paciência. Criar um instagram/blog leva tempo, sabe? Vai dar tudo certo!

  Espero que minhas dicas tenham ajudado. Beijão!

2 de set de 2019

Agora eu Faço Terapia

Agora eu Faço Terapia
  
  Foto: ilustrador japonês Toyoi Yuuta
 Uns meses atrás eu dei um tilte, não dos pequenos, dos fortes. Aqueles que você sente uma sensação ruim como se tudo estivesse dando errado. Pensei por algumas horas e disse para minha mãe: eu queria fazer terapia. Ela se surpreendeu, ou melhor, ela e basicamente todas as pessoas a minha volta.
 É estranho quando a gente para para refletir o assunto e percebe que é um tabu imenso. Bem no fundo, eu sinto como se todo mundo devia fazer terapia, sem exceção. É sobre parar de refletir seus problemas nos outros e se tocar que as vezes o problema pode ser você. Não só você, o mundo. Sua criação, suas experiencias ou o programa da Discovery que você viu no ano passado, tudo isso te influencia. 
 Quando percebi que finalmente tinha entendido isso, o mundo se abriu. Foi maravilhoso. 
  O fato de passar muito tempo sozinha ou estudando acabaram me afetando e eu não tinha ideia disso, e bem no fundo isso era apenas um outdoor estampado na minha cara: "você é humana e não dá conta de fazer tudo ao mesmo tempo", meu corpo apenas refletia isso. 
 Foi uma coisa legal conversar com alguém sobre tudo que passa na minha cabeça, e antigamente, achava uma hora um tempo interminável, hoje só vejo que é o suficiente (e as vezes simplesmente desejo que seja mais).
  Falei sobre pastel, apartamentos, como gostava de vestir xadrez e cachorros, coisas simples mas que refletiam quem eu era e deixavam a minha alma mais leve. 
  Olha, esse é apenas um relato, mas acho que você que está lendo isso devia ir em um psicólogo.


 Ouvi escrevendo: TALIA - King Princess


Posts Recentes

Copyright © 2016 Simplesmente Criativa , Blogger